Rede de Educação Integral de São Luís beneficia mais de 6 mil famílias

03/11/2020

Doação de livros contribui para o reforço escolar de crianças

“Meu filho já leu todos os seis livros que recebemos juntos com as doações. Ele ficou muito feliz!”, diz Josiberli da Silva, de 32 anos, mãe do Joaquim, 7, aluno do Centro Educacional Genir, uma das organizações que realizaram a distribuição de cestas básicas e kits de higiene para as famílias atendidas durante três meses. Ele está na segunda série do Ensino Fundamental e criou uma rotina de estudos durante o isolamento social, com a prática de leitura, ditado e tabuada pela manhã e exercícios on-line da escola à tarde. “Graças a Deus o Joaquim está se saindo bem nas aulas a distância. Ele está normal, mas a gente conversa muito com ele”, destaca.

Fernanda Alves disse que seus três filhos ficaram mais calmos e centrados nas aulas da escola. “O método da capoeira os ajudou muito, porque ele ensina a parar, olhar e prestar atenção. Já a caçula era mais tímida e passou a ser mais comunicativa em diferentes ambientes”.

Janaína Amorim também observou um amadurecimento comportamental em suas duas filhas. “A Ana (14) está mais autônoma, tem tirado notas altas na escola e seu interesse em aprender sobre arte cresceu. Já a Gabrielle (8) passou a ser mais comunicativa e faz até questionamentos sobre a cultura local”.

Luís Gustavo (14), William (9) e Israel (5) também são alunos do CE Genir e estudam lá há dois anos. O mais velho participa do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, projeto em parceria com o CRAS da região, onde faz atividades físicas, de artes e reforço de leitura, enquanto os dois irmãos mais novos estudam na escola. A mãe, Nataliana Lopes, por precisar sair para trabalhar, não consegue acompanhá-los durante o dia, mas também fez uma agenda para cada um seguir com os deveres diários da escola e, ao chegar do trabalho, conversa com cada um. “Eles também gostaram muito dos livros e já leram todos”, conta Nataliana.

 



 

“A leitura traz uma mensagem com ela, traz tipo uma vida dentro de um livro. Achei muito legal e me deu mais vontade de ler”, diz William.

E não foram somente as doações de livros que impactaram o desenvolvimento da leitura nas crianças. As próprias doações do Plano e o apoio financeiro proporcionaram um bem-estar e segurança para os membros das famílias. 

Jackson Nascimento é professor de informática da Associação Obras Sociais Frei Antonio Sinibaldi há 12 anos e também já foi aluno da casa em 1996. Ele dá aulas para as crianças da organização e para a comunidade e, como funcionário, recebeu um aporte financeiro durante os três meses. “O auxílio garantiu o complemento dos pagamentos dos funcionários por meio do auxílio em um momento tão delicado que a humanidade está passando. Diante dessa cooperação foi possível arcar normalmente com os custos mensais que todos nós temos”, diz. Ele é sobrinho da Maria Nascimento - que recebeu as doações - cuja filha também estudou na Instituição e sua neta é aluna há 2 anos.

Impactos em números:

  • 18.330 cestas básicas e 18.330 kits de higiene pessoal e básica distribuídos durante 1 trimestre para 6.110 famílias atendidas por 49 organizações;
  • 235 colaboradores dessas OSC receberam auxílio financeiro;
  • mais de 7 mil livros doados até agora.

 

Texto por: Julia Bruce

Últimas notícias

  • Encontros Territoriais incentivam a aplicação do Mapa de Identidades

    Federação Pestalozzi do Mato Grosso enxerga novas possibilidades

    Leia Mais
  • Inovação marca cogestão do CIEDS em equipamentos públicos

    Gibiteca promove conexão entre jovens de Unidades de Reinserção Social

    Leia Mais
  • Jéssica, jovem monitora, trouxe o forró para Casa de Cultura do Butantã

    Com seu projeto "Forró na Casa", ela está atraindo o público com a dança

    Leia Mais