CIEDS participa de reflexões sobre temática ambiental

18/09/2012

Um diálogo de alto nível reuniu representantes de diversos setores em evento promovido pela FAPESP.

No CIEDS, a participação de colaboradores em redes que atuam com assuntos do meio ambiente contribui para o crescimento da organização e, em especial, do Programa ECOA – Educação Comunitária Ambiental (iniciativa do Instituto Alcoa em parceria com o CIEDS). Em 23 de agosto, Cássia Nascimento, assistente do Programa, foi conferir o 2º. Workshop conjunto BIOTA-BIOEN-Mudanças Climáticas: O futuro que não queremos – uma reflexão sobre a RIO+20, promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

O evento reuniu pesquisadores da FAPESP envolvidos com três programas relacionados ao meio ambiente: biodiversidade (BIOTA), bioenergia (BIOEN) e mudanças climáticas globais (PFPMCG – Programa de pesquisa sobre mudanças climáticas globais), além dos setores da política, da sociedade civil, da indústria e da imprensa. Eles fizeram uma avaliação crítica dos resultados da RIO+20, em relação à Reunião Oficial, e dialogaram sobre perspectivas de participação da comunidade científica nas discussões que envolvam sustentabilidade global nos próximos anos.

O papel de promover o desenvolvimento socioeconômico foi enfatizado diante das reflexões sobre os pontos negativos e positivos em relação a Rio+20. Entre eles, a falta de governança para lidar com a questão do clima global. Por outro lado, houve muitas recomendações a fim de manter o elo entre as ciências naturais e as ciências sociais, integrando interesses comuns no sentido de inovar os processos bilaterais para sustentabilidade. Isso inclui a participação ativa da sociedade civil, das ONGs e dos jovens que estiveram presente em grande número na Conferência nas políticas públicas. No encerramento ficou claro que esse diálogo não acabou. Todos enfatizaram que é preciso a visão de vários grupos canalizando recursos em prol do desenvolvimento sustentável.

Participar de debates como esse, é, sem dúvida, uma oportunidade que vem ao encontro da proposta principal do Programa ECOA em fortalecer uma rede social e empoderar os Agentes Ambientais para que se tenha um grupo de atuação socioambiental autônomo e multiplicador de práticas ambientais sustentáveis em suas localidades.

Autor: CIEDS