Proind trabalha o tema da superação de limites

15/08/2013

Participantes do Proind visitam Andef, instituição com um dos maiores complexos poliesportivos do Brasil.

O maior medalhista paraolímpico brasileiro de natação, Clodoaldo Silva, serviu de exemplo de superação, nesta terça, 13, para os participantes do Proind, projeto da Petrobras executado pelo CIEDS. Os beneficiários do projeto visitaram, no bairro Rio do Ouro, em Niterói, no Rio de Janeiro, um dos maiores centros desportivos da América Latina, a Andef (Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos), berço de grandes ídolos do cenário paraolímpico brasileiro, onde Clodoaldo iniciou sua trajetória no esporte. 

Além de formar atletas, a Andef investe na inserção da pessoa com deficiência no mercado de trabalho e na inclusão escolar através da parceria com uma unidade da FAETEC instalada ao lado da Associação, na busca de conscientizar a sociedade da capacidade de superação de limites e potencial das pessoas com deficiência, rompendo barreiras e quebrando tabus.

De acordo com Guilherme Ramalho, presidente da Andef, a instituição foi fundada para lutar pelos direitos da pessoa com deficiência que, segundo ele, ainda sofre preconceitos da sociedade, que olha o deficiente como alguém incapaz de praticar uma atividade física ou até mesmo ter uma formação acadêmica.

“É preciso criar leis que atuem de forma eficiente em benefício da pessoa com deficiência, por meio de parcerias com a sociedade e comunidades. A pessoa com deficiência é tão capaz como qualquer outra, desde que tenha oportunidade”, destacou Guilherme.

Com mais de 42 mil metros quadrados, as instalações da ANDEF funcionam como centro de treinamento esportivo para algumas seleções paraolímpicas na preparação para competições importantes, nas modalidades: basquetebol em cadeira de rodas, voleibol sentado, futebol de cinco (para deficientes visuais), entre outros.

De acordo com Alaor Boschetti, gestor administrativo da Andef, em 2012 a Associação realizou mais de 800 mil atendimentos, oferecendo serviços nas áreas de saúde, esporte e educação.  

Apaixonado por futebol, Emanuel dos Santos, de 19 anos, sofreu em 2011 um acidente de moto, onde teve que amputar uma perna.  O jovem, que hoje trabalha como auxiliar administrativo na Petrobras, ao conhecer as instalações poliesportivas da Andef se interessou em voltar a praticar o esporte.

“Fiquei com vontade de voltar aqui mais vezes para poder jogar futebol. O Proind me ensinou a interagir mais com as pessoas e me mostrou que todo mundo deve ser tratado da mesma forma, tendo ou não qualquer tipo de deficiência”, ressaltou Emanuel.

Os bailarinos da ‘Cia Corpo em Movimento’, grupo de dança sobre rodas composto por cadeirantes e andantes, se apresentaram para os participantes do Proind, dançando o ritmo do samba sobre cadeiras de rodas. O grupo que encerrou as paraolimpíadas de Londres e a Copa das Confederações no Brasil, já atua há 13 anos.

“A deficiência existe e temos que aprender a conviver com ela, driblando os obstáculos da vida e fazendo o que gostamos da melhor maneira possível”, disse a cadeirante de 25 anos, Vanessa Abreu, que faz parte da Companhia de Dança desde a adolescência.

O Proind - Programa de Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho disponibiliza 15 vagas para pessoas com deficiência, possibilitando o desenvolvimento de competências profissionais para sua incorporação/manutenção no mercado de trabalho, num período de 36 meses.

Autor: Ana Paula Santana