Intercâmbio com atletas promove a diversidade

13/11/2014

Consulado Geral dos EUA no Rio de Janeiro realiza encontro com atletas no CRPD de Irajá.

Através da articulação entre o CIEDS, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e o Consulado Geral dos EUA no Rio de Janeiro, no último dia 05 de novembro, o CRPD (Centro de Referência da Pessoa com Deficiência) do Irajá recebeu a visita de dois atletas americanos por meio da iniciativa Sports Envoys.

Por um dia o CRPD do Irajá foi além do atendimento com a equipe multifuncional, foi cenário de uma experiência única de intercâmbio de atletas olímpicos e paralímpicos e espaço de reflexão para superação e respeito à diversidade.

Por intermédio de histórias de superação e atividades lúdicas, como a corrida de revezamento, 30 alunos da Escola Municipal Mário Paulo de Brito, usuários da unidade e seus familiares tiveram a oportunidade de refletir sobre a saúde integral valorizando as diferenças e revendo a ideia de limitação.

Segundo Roberta Pope, Assessora Cultural da Seção de Imprensa, Educação e Cultura do Consulado Geral dos EUA no Rio de Janeiro, “Levar atletas deficientes e não deficientes nas visitas é muito rico. Através da diferença é possível mostrar que todos têm a contribuir.”

Ratificando a importância do evento, a atleta Allyson Felix, que conquistou três medalhas de ouro em uma única olimpíada, Londres 2012, fala: "Eu gosto de interagir com crianças e também falar da importância de praticar atividades físicas. Espero poder ser exemplo para elas e também poder voltar ao Rio para competir em 2016."

Ter a oportunidade de contar sua história é fundamental para conscientizar os deficientes e seus familiares da capacidade que possuem é o que mais importa para o atleta Felipe Gomes que, por conta de um glaucoma, teve perda progressiva da visão. 

Felipe também falou sobre sua vida de atleta: “Treino duas vezes ao dia para competir na Paralimpíada de 2016, no Rio de Janeiro. Fui medalhista de ouro na prova de 200 metros rasos em Londres, 2012. É muito gratificante defender o Brasil, me sinto útil para o meu país.” E ainda completou: “Hoje o atletismo me dá independência financeira.”

A experiência de troca para inspirar a superação também é apontada por Felipe como essencial neste processo. E, ainda sobre este tema, o também atleta paralímpico norte-americano Josh George, que perdeu o movimento das pernas após cair do 12º andar quando tinha apenas 4 anos de idade, conta que encara o esporte com muita naturalidade, estimulando a coragem e a superação: “Não é porque eu não posso andar que não pratico esportes. Já corri, nadei e joguei tênis. Quando eu era criança meus pais me motivavam tanto que eu encarava a cadeira de rodas como mais um brinquedo.”

O impacto do evento refletiu na fala do usuário Paulo Henrique Nazareth.  Mesmo perdendo os movimentos das pernas por conta de um tumor medular, ele conta como foi inspirado a ter força de vontade na vida: “Estou motivado a não me deixar abater. Aqui no CRPD sou medalhista de bronze na bocha. Quero continuar treinando e desenvolvendo minha habilidades.”

Marcando o sucesso do evento, a Secretária Municipal da Pessoa com Deficiência, Georgette Vidor, que também estava presente, falou com satisfação do encontro: “É uma oportunidade muito boa poder ouvir a história de vida destes atletas e trazer o esporte olímpico para dentro de nosso país. Estamos muito felizes em poder difundir a prática de esporte para a qualidade de vida e para a inclusão de pessoas com deficiência. O esporte faz toda a diferença.”

O CRPD é desenvolvido pelo CIEDS em conjunto com a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPD) e a Secretaria Municipal de Educação (SME). Os usuários passam por atendimento com equipes multiprofissionais são compostas por psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, educadores físicos e pedagogos.

Autor: Isabel Salgado