Esporte no CIEDS é ferramenta de transformação social

14/09/2015

Neste mês, o CIEDS passa a ser membro da Rede Esporte pela Mudança Social (REMS), que tem como missão mobilizar e fortalecer organizações que reconheçam o esporte como fator para o desenvolvimento humano.

A REMS é formada atualmente por 64 organizações brasileiras de diversas áreas e está presente na África do Sul, Argentina, Reino Unido. O que une estas instituições é o fato de que todas elas utilizam, em alguma de suas ações, o esporte como ferramenta de transformação social.

Segundo Louise Bezerra, Secretaria Executiva da REMS, para fazer parte da rede, a organização deve trabalhar com o conceito de esporte para desenvolvimento humano, considerando os princípios de inclusão, diversidade e participação. “Também é necessário demonstrar capacidade operacional para participar das atividades da REMS e seus grupos de trabalho. As organizações postulantes são apresentadas aos membros efetivos da rede e precisam contar com ao menos uma indicação para formalização de sua entrada”, afirma Louise.

Em seus 17 anos o CIEDS desenvolveu diversos projetos exitosos na área, como o Arena Olímpica, realizado no Ceará com financiamento do Banco do Nordeste do Brasil; Vôlei Sentado de Praia, realizado no Rio de Janeiro com o financiamento do Banco Cruzeiro do Sul; o Tênis na Lagoa, também realizado no Rio de Janeiro com financiamento da Rede Globo; e o Craque do Amanhã, em São Gonçalo (RJ), financiado pela Ampla, na comunidade do Escondidinho (RJ), financiado pela Rede Globo e Brasil Cap, e em Osasco (SP), que começa em 2015 e será financiado pela White Martins.

Para Sérgio Pereira, gerente de projetos do CIEDS, a participação da organização na REMS fortalece todos envolvidos, mas principalmente a inclusão social por meio do esporte. “O CIEDS acredita em redes para prosperidade e estar engajado com organizações que trabalham com o esporte como ferramenta de transformação nos fortalece e fortalece este movimento tão importante que é o esporte inclusivo. Nessa relação todos saem ganhando”, afirma Sérgio.

Autor: Rafael Biazão