No Ponto Certo contribui para a mobilidade carioca

29/09/2014

Central 1746 recebe menos 31% de reclamações referentes ao serviço carioca de ônibus.

Um ano após o início do programa No Ponto Certo, a Central de Atendimento ao Cidadão, da prefeitura do Rio de Janeiro, 1746, aponta a queda de 31% nas reclamações referentes ao serviço de transporte por meio de ônibus. Segundo a Central, foram 37.900 ligações até o dia 2 de setembro deste ano, contra 55 mil no mesmo período de 2013.

No Ponto Certo, parceria entre a UCT (Universidade Corporativa do Transporte), a Rio Ônibus, a Secretaria Municipal de Transporte e o CIEDS, buscou o aprimoramento e a valorização da categoria profissional dos motoristas, figuras tão importante para a mobilidade urbana, por meio de ações educativas colaborativas que abordaram temáticas do cotidiano dos motoristas, bem como o comportamento ético e cidadão.

A formação foi realizada em eventos que trabalharam a realidade dos motoristas, a sua relação com o passageiro e com o trânsito, e o propósito profissional da categoria. Contando com a participação de 12 mil dos 18 mil motoristas da frota carioca, os encontros geraram o código de conduta construído coletivamente pelos próprios motoristas. 

“Nas oficinas proporcionamos momentos de reflexão a partir de conteúdos pré-definidos e também pudemos ouvir as questões rotineiras dos motoristas. Para trabalhar com educação temos que ser perseverantes, por isto tenho certeza que plantamos uma sementinha e fizemos a diferença com o programa.”, afirma Marli Piay, assessora de recursos humanos na Rio Ônibus. 

Para o motorista Ronaldo Passos, que comemora a notícia da redução das reclamações, o programa foi fundamental na valorização da profissão. “Foi show de bola participar do No Ponto Certo. Aprendi bastante, me atualizei e pude melhorar principalmente as relações humanas e a comunicação no meu trabalho. Os passageiros passaram a me ver com mais profissionalismo.”

Segundo dados da ouvidoria da Secretaria Municipal de Transporte (SMTR), as denúncias relacionadas ao não atendimento à solicitação de parada também tiveram queda. Entre janeiro e julho de 2014 foram 30% a menos.

O código de conduta criado no programa foi lançado em julho deste ano e, desde então, está sendo usado pelos motoristas da cidade. O documento, que está disponível para download no site da Fetranspor, inclui direitos e deveres profissionais, compromissos, responsabilidades mútuas e exemplos de como colocá-los em prática, consolidando assim novas perspectivas de relacionamento no trabalho. 

“Como próximo passo, trabalharemos o comportamento dos passageiros, pois a convivência cidadã é uma via de mão dupla.”, aponta Marli.

Texto por: Isabel Salgado

Últimas notícias

  • Nunca é tarde demais para perseguir um sonho

    Colaboradoras de CAPS relatam experiências ao decidirem voltar às aulas

    Leia Mais
  • Marcenaria do Bem contempla mais de 3.600 marceneiros com auxílio financeiro

    Iniciativa do Instituto Leo com o CIEDS mobilizou mais de 40 doadores no financiamento coletivo

    Leia Mais
  • Conheça os impactos positivos dos nossos projetos no atual cenário

    Promovemos confiança no futuro em meio aos desafios da pandemia

    Leia Mais