Hoje respiro solidariedade graças ao Fazedores do Bem

Albert como inspiração para muitos outros

Acredito que a melhor descrição do Arte Transformadora é que nasceu da necessidade das pessoas. Tínhamos um grupo de teatro e alugamos um espaço para podermos guardar os equipamentos, as crianças nos viram chegando e perguntaram o que seria ali. Ver o brilho nos olhos delas fez com que pensássemos um espaço em que elas pudessem ficar.

Eu moro no Complexo da Penha e nossas crianças estão cada dia mais vulneráveis, a violência é muito grande e se você não dá oportunidades, elas podem acabar se voltando para essas situações de violência.

No Arte Transformadora oferecemos aula de capoeira, balé, informática e percussão.

Eu tenho um filho e minha esposa diz para mim: “Albert, eu não te dei nenhuma filha, mas você tem 50 no balé”. E isso é verdade, sou até proibido de entrar durante a aula porque atrapalho, as meninas param para vir falar comigo.

Tem uma frase que eu sempre digo: estenda o tapete das oportunidades e você descobrirá talentos.

Quando meu filho teve câncer na garganta e estava internado, ele me pediu quatro caixas de bombom para dar para algumas mães de alunos do projeto. Pouco depois a Páscoa chegou e eu não tinha nada para dar para as crianças. Uma dessas mães fez uma campanha na escola do filho dela e conseguiu arrecadar 178 caixas de chocolate, que pudemos distribuir não apenas para as crianças do Arte Transformadora, mas também para seus irmãos.

Foi o professor de capoeira que me falou do Fazedores do Bem, faltava apenas 2 dias para o encerramento das inscrições. Vi ali uma chance de receber capacitação para melhorar o projeto. Fiquei muito feliz quando, dentre tantos projetos inscritos, fui um dos selecionados.

Considero que o trabalho do CIEDS foi um divisor de águas. Se hoje tenho uma mente voltada para a solidariedade e o desejo de encontrar novos caminhos foi graças ao que aprendi no Fazedores do Bem.

Ali eu conheci pessoas que, como eu, trabalham para um mundo melhor. Por ter sido selecionado eu pude construir uma rede com pessoas que tem a mesma garra, que também estão buscando fazer o bem, e isso fez toda a diferença na minha vida.

A formação do Fazedores do Bem fez uma grande diferença para mim e uma palavra que não sai da minha mente é gratidão.

Eu sinto que nasci para o Arte Transformadora e meu maior sonho é poder me dedicar integralmente, respirar o projeto. A realidade daquelas crianças que estão ali exige atenção 24 horas, eu preciso conhecê-las melhor para poder entender suas necessidades. O que espero para o futuro é podermos ter uma sede própria, ampliar a rede de pessoas envolvidas e mais estabilidade financeira. Eu sou feliz por fazer um projeto que não tem muito recurso financeiro, mas que tem amor.

Fazedores do Bem é um edital do CIEDS criado em 2017 que capacita em Gestão de Projetos Sociais os representantes de 40 iniciativas. Ao fim da capacitação, eles apresentam suas ideias para uma banca avaliadora que seleciona 20 para receber um valor em dinheiro, impulsionando suas atividades e aumentando seus impactos positivos.