Centro Integrado de Estudos e
Programas de Desenvolvimento Sustentável
Página Inicial

Extranet

Notícias

Lugar de afeto

31/10/2017

Enviar para o Twitter Enviar para o Facebook

Conheça o trabalho da Unidade de Reinserção Social de Bangu, que acolhe jovens em vulnerabilidade social

A tarde estava movimentada na Unidade de Reinserção Social de Bangu. Seis novos jovens eram acolhidos no dia, famílias faziam visitas, funcionárias preparavam o café, tudo agitava a rotina da acolhedora casa azul na Rua Abelardo Bittencourt.

O clima é de afetividade mesmo, as educadoras, psicólogas e assistentes sociais sempre atentas com os meninos, cuidam com detalhe.

 

(Neire Santos, Educadora, posa com alguns dos jovens. Ela foi indicada para representar os trabalhadores do SUAS na Conferência Municipal de Assistência Municipal do Rio.)

“Eles vêm, apresentam namoradas, depois quando sofrem de amor também vêm falar com a gente. Eu e Teresa já conhecemos uma meia dúzia de namoradas”, brinca Carla Cerqueira, psicóloga da casa.

A unidade acolhe 14 adolescentes de 12 a 16 anos em situação de vulnerabilidade social e possui um trabalho voltado para a reinserção deles após a saída da casa, quando completam 18 anos. 

Um dos projetos desenvolvidos pela unidade, a Oficina Culinária entre Receitas &Histórias, ensina os jovens a cozinhar pratos simples e de preparo rápido. 

“A oficina foi pensada, inicialmente, para gerar a autonomia dos meninos que estavam saindo. Comecei a pensar nela para ensinar o básico, para que eles aprendam a se virar na cozinha, seja morando sozinhos ou com amigos”, conta Giovana Diniz, nutricionista idealizadora do projeto.

(Giovana segura o livro, fruto do projeto, que foi indicado pra o prêmio da Associação Brasileira de Nutrição - Asbran.)

Giovana também da dicas importantes sobre saúde, higienização de alimentos, segurança alimentar e alimentação saudável. 

O sucesso da atividade transformou suas receitas no livro “Entre Receitas & Histórias”, que conta também a história de alguns jovens e suas expectativas para o futuro. A ideia é que, com o livro, eles possam levar essa experiência e os aprendizados para vida. 

A atividade se desdobrou em uma oficina de lanches rápidos, de biscoitos e de bartender, agora não mais somente para os meninos que estavam para sair da unidade, mas para todos de lá.

“Os outros meninos ficaram maravilhados, porque o mundo da cozinha é fascinante. Eles queriam aprender, fazer alguma coisa, serem úteis”, completa Giovana.

Outra iniciativa da casa, o Projeto Família em Foco, uma articulação com a 4ªVara da Infância, da Juventude e do Idoso, acompanha os jovens que retornam às suas famílias, realizando conversas individuais e em grupo com os familiares. O projeto, que foi indicado para o prêmio Innovare, garante que esse acompanhamento de cada jovem seja realizado de perto e tem somado muitos resultados positivos. 

(Da esquerda para a direita: Daniele Mota, Diretora da unidade, Mara Branco, assessora da direção, Giovana Diniz, Teresa Amaral, assistente social e Carla Cerqueira, psicóloga.)

Mas o melhor resultado possível é refletido nos olhos dos jovens. Everson, de 17 anos, que já planeja seu futuro após a saída da casa, sua carreira e conta seu sonho: visitar a cidade luz, Paris. “Quero ser feliz, quero viajar”, ele diz.

“Quando você acredita que o outro é capaz ele também acredita. Essa é a diferença que as atividades que desenvolvemos aqui fazem na vida dos meninos. Eles passam a pensar que podem mudar suas histórias. Nós damos escuta, o jovem tem um momento de fala, ele vê que aquilo não é em vão”, comenta Carla.

E é com esse pensamento que todos os funcionários da casa trabalham, procurando construir um futuro melhor e mais autoestima para todos os jovens que passam por esse espaço, temporário, mas nesse percurso constroem sentidose projetos de vidas.

“A gente costuma dar muita voz para os meninos que estão com a gente. Já que o nosso trabalho é atendê-los, ninguém melhor do que eles próprios para nos dizer qual é a sua necessidade e como podemos alcançar seu bem-estar aqui. Sabemos que a unidade é um lugar de passagem. Por isso, criamos os projetos, todos eles com foco nos próprios meninos, para ajudar na saída deles daqui”, diz Daniele Mota, Diretora da unidade.

A Unidade de Reinserção Social de Bangu é uma gestão compartilhada entre o CIEDS e a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro.

Por Victoria Guimarães

Parceiros ao longo de nossa história

  • Shell
  • Seconci
  • Fundação Itaú Social
  • Prefeitura de Macaé
  • Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

Cadastre-se
E receba nossos informativos